Notícias

10 Mai 2021

Dia Mundial da Fibromialgia

“A ‘família’ FIBRO está e estará sempre e incondicionalmente ao seu lado”

Na sociedade atual, é importante desmitificar, e diminuir, o estigma associado a esta doença, que é invisível e incapacitante.

Este ano, o Dia Mundial da Fibromialgia, que se assinala por todo o mundo a 12 maio, é novamente marcado pela pandemia Covid-19, um flagelo que tem acometido o globo e que tem contribuído para um panorama mais cinzento para todos os doentes e, neste caso, em particular para os doentes com fibromialgia.

A somar às dificuldades habitualmente sentidas, a situação pandémica veio trazer desafios acrescidos ao doente com fibromialgia. Se é verdade que a redução do rendimento devido às paragens das atividades, o desemprego, as inseguranças financeiras e sociais, afetaram e continuam a afetar o bem-estar mental de qualquer pessoa, estas dificuldades são, naturalmente, ainda mais ampliadas no doente fibromiálgico devido à sua condição.

Mas também o distanciamento social, a informação constante, a propagação de notícias, falsidades e mitos, nas redes sociais, o contágio (ou o medo de contágio), o falecimento de familiares e amigos, são múltiplos os fatores que contribuem para um estado de saúde mental mais frágil, aumentando os níveis de ansiedade e de stress, com consequente impacto nos sintomas da fibromialgia.

Ao nível da saúde física, o cenário infelizmente não é diferente, pois, como sabemos, a suspensão dos atendimentos presenciais, o adiamento das consultas médicas e o encerramento de piscinas, centros de fisioterapia e de reabilitação também impactam e continuam a impactar negativamente em todos os aspetos físicos e cognitivos, muitas vezes acelerando a evolução da doença, nomeadamente provocando o aumento da rigidez das articulações e da fadiga muscular, com retrocesso na qualidade de vida, e aumentando o risco de incapacidade e de absentismo laboral.

Estamos perante uma situação com todos os ingredientes e motivos para fraquejar, mas só aparentemente, pois tal como disse o grande inventor Thomas Edison, “embora a nossa maior fraqueza esteja em desistir. O caminho mais certo para vencer é tentar mais uma vez”. E, como também diz um conhecido e sábio provérbio português, “é preciso fazer das fraquezas força”. Mais do que nunca, é fundamental ser resiliente, seguir em frente, mais depressa ou mais devagar, mas prosseguir seja a que velocidade for.

Sabemos que é junto da família e dos amigos que muitas vezes é possível encontrar essa força necessária para vencer, continuar em frente e prosseguir. Mas saiba que a família FIBRO também está e estará sempre e incondicionalmente ao seu lado.

Continuaremos a apoiar e receber todos os doentes que precisem de cuidados na nossa Associação, seja para apoio psicológico ou físico; continuaremos a promover sessões de esclarecimento sobre a doença; a dinamizar ações de sensibilização; a realizar webinars, conferências, palestras; continuaremos a promover as terapias de grupo; continuaremos a lutar com todas as armas e ferramentas de que dispomos e de forma multidisciplinar, pois só assim pensamos ser possível atender ao doente nas suas múltiplas vertentes, ao doente como um todo.

Neste Dia Mundial da Fibromialgia, fica a garantia de que prosseguiremos nesta luta para sensibilizar os serviços de saúde, comunidade em geral e as entidades empregadoras para as problemáticas das patologias crónicas da fibromialgia, e de que vamos continuar a desenvolver ações de capacitação fomentando as atividades de vida diária e de informação direcionadas para a melhoria e qualidade de vida, ao nível da autonomia pessoal, na integração e da aceitação da doença.

É esta a nossa missão, é este o nosso propósito. É este o nosso caminho, que vamos continuar a fazer, juntos e contra todas as adversidades!